Turismo: Gestão Estratégica de Eventos

Comissão Coordenadora

Prof. Doutor Nuno Gustavo - Coordenador Geral e do Ramo de Gestão Estratégica de Eventos: nuno.gustavo@eshte.pt​

 

Curso Estabelecido pelo Despacho n.º 8892/2009

 

Despacho n.º 04/PRES/ESHTE/2010 | Alteração de Duração, Áreas Científicas e Créditos do Mestrado em Turismo

 

OBJETIVO CENTRAL DO CURSO

O curso de Gestão Estratégica de Eventos tem como objetivo central contribuir para a formação de “massa crítica” e capital humano tendo em vista responder aos novos desafios e exigências que o setor do turismo enfrenta. Assim sendo, propõe-se valorizar e atualizar os conhecimentos adquiridos ao longo dos percursos académicos e profissionais dos seus discentes, contribuindo deste modo não só para a adequação do setor turístico nacional a uma realidade em constante mudança, mas também para o incremento dos seus fatores de competitividade através do acréscimo da qualidade dos produtos e serviços disponibilizados.

 

É de sublinhar que estes desideratos são tão mais importantes quanto a Resolução do Conselho de Ministros n.º 97/2003, de 1 de agosto, elegeu o turismo como um dos eixos estratégicos para o desenvolvimento económico do País e o Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) define como linhas de desenvolvimento estratégico, entre outras, a inovação e conhecimento, através da realização de eventos que contribuam para a valorização da proposta de valor do destino, e o reforço da imagem de marca e notoriedade de Portugal, a par da qualificação dos serviços e dos recursos humanos.

 

Tudo isto acentua, ainda mais, a necessidade de redimensionar a gestão dos eventos, no contexto global dos produtos e dos destinos turísticos no quadro de uma relação de compromisso entre a tradição e a inovação, ou, como refere o PENT, num duplo contexto de gestão estruturado por duas grandes vertentes estratégicas: a diferenciação e a qualificação. Para tal, novas competências profissionais, novas formações e novas atitudes são imprescindíveis.

 

PÚBLICO-ALVO

  • Podem candidatar-se ao acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre os interessados em desenvolver ou aprofundar competências na área do turismo, em particular no domínio da gestão estratégica de eventos:
    • a) Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal;
    • b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
    • c) Titulares de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pelo órgão científico estatutariamente competente do estabelecimento de ensino superior onde pretendem ser admitidos;
    • d) Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo órgão científico estatutariamente competente do estabelecimento de ensino superior onde pretendem ser admitidos.
    • e) Os profissionais do sector do turismo, bem como os novos empreendedores ou aqueles que procuram um desempenho profissional nesta área. Caso não seja titular de licenciatura poderá frequentar o curso em regime de formação avançada que funciona em paralelo com o mestrado.
       

COMPETÊNCIAS A PROMOVER

O turismo, como setor em constante evolução num mundo progressivamente incerto, necessita de profissionais especialmente preparados para acompanhar as dinâmicas internas e externas do setor, profissionais capazes de perspetivar e antecipar o futuro, profissionais, numa palavra, com a formação necessária para sentir e compreender os fatores de mudança e para agir proativamente.

Para tanto é necessário estimular e aprofundar um naipe alargado de competências suscetíveis de ancorar um desempenho profissional esclarecido e com os olhos postos na inovação e na competitividade das instituições, muito em especial no que às empresas de organização de eventos diz respeito.

Entre outras, destacam-se as seguintes:

  • Coordenar, estruturar e avaliar ações de intervenção no sistema turístico e respetiva componente empresarial;
  • Desenvolver capacidades de relacionamento institucional, seja no âmbito da elaboração de instrumentos de planeamento e gestão territorial e sectorial, seja no domínio da operação turística;
  • Definir, aplicar e suscitar a aceitação de métodos e técnicas de intervenção e trabalho suscetíveis de maximizar a competitividade das empresas e destinos no estrito respeito da sustentabilidade dos territórios, produtos e empresas;
  • Dinamizar linhas de parceria entre agentes empresariais e institucionais, com os objetivos de qualificar os produtos/destinos turísticos através da realização de eventos incrementando a competitividade dos locais e das empresas;
  • Avaliar as dinâmicas, internas e externas, que influenciam o desenvolvimento do setor turístico e das organizações que nele operam, sabendo discernir as tendências pesadas e as de conjuntura;
  • Compreender e saber aplicar os métodos e técnicas da prospetiva, tendo em vista colocar o futuro como dimensão temporal importante nos processos de decisão;
  • Dominar os métodos e técnicas de inventariação e avaliação de recursos, bem como a sua adequada valorização através da organização de eventos coerentes face ao destino e a outros produtos turísticos e com elevado grau de atratividade;
  • Reconhecer e valorizar a centralidade do consumidor turístico, sabendo as formas de adequar a oferta aos anseios e exigências da procura – ou de segmentos específicos da procura – no sentido de aumentar os seus níveis de satisfação;
  • Compreender as implicações do desenvolvimento turístico nos quotidianos das populações das bacias recetoras e na organização desses territórios, desenvolvendo práticas e promovendo políticas suscetíveis de salvaguardar os fatores do bem-estar geral e a distribuição justa e equitativa das externalidades geradas;
  • Saber analisar e dinamizar os mercados e as empresas de organização de eventos numa ótica de inovação e competitividade;
  • Perceber o papel das empresas de organização de eventos em particular, e turísticas em geral, no setor, bem como a forma de as promover, dinamizar e gerir;
  • Elaborar e avaliar projetos de eventos concretos e integrados numa estratégia territorial ou empresarial;
  • Operacionalizar e comercializar eventos numa perspetiva integrada face a outros produtos turísticos e ao destino;
  • Demonstrar uma atitude ética e socialmente responsável ao nível das intervenções e das empresas turísticas.

 

ESTRUTURA CURRICULAR

Tendo em consideração os objetivos definidos, as competências que se pretendem estimular e o perfil individual de cada discente, o curso foi estruturado através de um conjunto de unidades curriculares – obrigatórias e optativas – de forma a responder às necessidades específicas dos segmentos alvo deste ciclo de estudos com uma oferta de geometria variável.

 

Assim, o curso está estruturado de forma a responder às necessidades de qualquer diplomado, independentemente da sua área científica de origem, que pretenda realizar uma pós-graduação no turismo, aumentando, assim, as suas competências profissionais especializadas.

 

Concomitantemente, oferece, também, aos diplomados e profissionais da área do turismo, um aprofundamento de saberes e competências pessoais suscetíveis de aumentar a sua competitividade no mercado de emprego e a maximização dos fatores de êxito no domínio do empreendedorismo turístico.

 

 

SISTEMA DE AVALIAÇÃO

A avaliação em cada uma das unidades curriculares da parte escolar do curso tem um caráter individual, dela constando a realização de trabalhos escritos (individuais ou em grupo), exposições orais, ou outras formas de avaliação consideradas adequadas aos temas em estudo.

 

O resultado da avaliação em cada unidade curricular será expresso numa escala de números inteiros de 0 a 20 valores, com a aprovação a depender da obtenção de uma classificação final igual ou superior a 10 valores.

 

A classificação da parte escolar do curso calcula-se pela média, ponderada em função dos ECTS, das classificações obtidas nas unidades curriculares que o constituem.

 

A classificação final do ciclo de estudos de mestrado é expressa de acordo com o estipulado no artigo 24.º do Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de março, ou seja, dentro do intervalo 10-20 da escala numérica inteira de 0 a 20, bem como no seu equivalente na escala europeia de comparabilidade de classificações.

 

A classificação final corresponderá à média entre a classificação na parte escolar do curso e na dissertação da tese, trabalho de projeto ou relatório de estágio, ponderada pelos créditos correspondentes (ECTS) obtidos em cada um destes blocos.

 

HORÁRIO DA COMPONENTE LETIVA

5.ª e 6.ª feira | 20h00 às 23h50

Sábados | 09h00 às 18h00

 

No primeiro ano as aulas ocorrem ao longo de 12 semanas por semestre, complementados por um período de avaliação. As aulas decorrerão em regime pós-laboral, de quinta a sexta-feira entre as 20h e as 24h, e aos sábados, preferencialmente de manhã (com exceção de seminários de especialização em eventos que decorreram sábado à tarde, preferencialmente no 2.º semestre).

 

Apesar dos alunos poderem escolher unidades curriculares da componente de opção de qualquer um dos ramos do curso de Mestrado em Turismo, a escolha é condicionada à necessidade destas unidades não se sobreporem aos horários das unidades curriculares obrigatórias de cada ramo, sendo os horários realizados de forma a valorizar as opções dos respetivos ramos.

 

A unidade curricular Análise Estrutural do Turismo é lecionada em regime intensivo nas duas primeiras semanas do curso.

 

No segundo ano, as unidades curriculares de Metodologia I e II são realizadas em regime intensivo (1º semestre) de forma a preparar os alunos para a realização do trabalho final que pode ser numa das seguintes três opções: Dissertação/Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio (para mais informações consultar o regulamento do mestrado).

 

CANDIDATURAS* | CRITÉRIOS DE SERIAÇÃO

 

Formalização de Candidaturas: candidaturas, condições de admissão e pagamentos 

 

Para efectuar o processo de candidatura, o qual se realiza exclusivamente on-line, o candidato deverá aceder ao Portal de Candidaturas. Em caso de dúvidas aceda ao Guia do Candidato.
 
*A instrução do processo de candidatura é da inteira responsabilidade do candidato.

 

Documentação:

  • Cartão de Cidadão / Bilhete de Identidade
  • Cartão de Contribuinte 
  • Certificado de habilitações (1) 
  • Curriculum Vitae devidamente comprovado (todos os documentos anexos ao currículo, deverão ser confirmados através de fotocópias autenticadas (2) ou de documentos originais)
  • Carta de motivação com um máximo de 500 palavras (obrigatória)
  • Carta de recomendação (opcional).

(1) Caso não tenha o certificado de licenciatura o candidato deverá anexar uma declaração escrita onde, sob compromisso de honra, se compromete à apresentação dos documentos em falta até à data de 15 de dezembro. A não apresentação dos mesmos até essa data implica a anulação da candidatura e matrícula, sem direito a devolução dos valores já cobrados.

 

Vagas (numerus clausus)

40 vagas*

* número mínimo de inscritos para a abertura do curso: 15

 

Critérios de seriação 

Os critérios de seriação serão aplicados apenas caso o número de candidatos ultrapasse o numerus clausus definido.
As candidaturas serão apreciadas pela Comissão Científica e Executiva do Mestrado em Turismo, a qual decidirá sobre a situação de cada interessado, definindo as correspondentes creditações e planos de estudo.

Por outro lado, os candidatos serão selecionados pela Comissão Científica e Executiva do Mestrado em Turismo, com base na aplicação sucessiva dos seguintes critérios:

i) Classificação obtida na licenciatura ou em cursos de Pós-Graduação, Formação Avançada ou equivalente;

ii) Curriculum vitæ do candidato, nomeadamente, académico, científico e técnico;

iii) Declaração dos objetivos e motivação da candidatura;

iv) Resultado de entrevista individual, quando tal for considerado necessário pela Comissão Científica e Executiva do Mestrado em Turismo.

Será dada preferência a antigos alunos dos cursos de licenciatura e de cursos de Pós-Graduação, Formação Avançada (ou equivalente) da ESHTE e a quadros de empresas ou de organismos públicos com mais de 2 anos de experiência profissional, até ao limite de 30% das vagas disponíveis. 

 

Emolumento de candidatura | 75€

O emolumento de candidatura só será devolvido caso o curso não abra. Para este efeito o candidato deverá guardar o respetivo recibo.  As candidaturas só serão consideradas válidas se o pagamento for efetuado dentro do prazo limite para formalização das mesmas.

 

Em caso de admissão:

Matrícula | 30€

Inscrição | 15€

Seguro Escolar | 15€ 

 

Modalidades de Pagamento das Propinas:

1.ª opção:

• 100% aquando do ato da matrícula / inscrição.

2.ª opção:

• 1.ª prestação aquando do ato da matrícula / inscrição: 25%

• 2.ª prestação a pagar entre 01/12/2016 e 15/12/2017: 12,5%

• 3.ª prestação a pagar entre 01/01/2017 e 15/01/2017: 12,5%

• 4.ª prestação a pagar entre 01/02/2017 e 15/02/2017: 12,5%

• 5.ª prestação a pagar entre 01/03/2017 e 15/03/2017: 12,5%

• 6.ª prestação a pagar entre 01/04/2017 e 15/04/2017: 12,5%

• 7.ª prestação a pagar entre 01/05/2017 e 15/05/2017: 12,5%

 

Download Propinas aplicáveis ao ano letivo de 2016/2017

 

Regulamento de Pagamento de Propinas de Mestrados | 2016-2017 | RETIFICADO